A QUESTÃO INDÍGENA
Marina Azem*

A atitude mais antiga e profundamente enraizada nos humanos, quando colocados em uma situação inesperada, como é a situação de estar frente a uma sociedade distinta, é a de repudiar as formas estéticas, sociais, religiosas, morais e culturais mais distintas daquelas com as quais se identificam (etnocentrismo),
Passados quase quinhentos anos da chegada da esquadra de Pedro Alvares Cabral ao que hoje é a costa brasileira, ainda é difícil precisar quantos povos nativos existem. Nós ainda desconhecemos e ignoramos a sócio diversidade nativa contemporânea dos povos indígenas.
O conhecimento da diversidade sociocultural no Brasil de hoje se encontra restrito aos muros das Universidades e a limitados círculos académicos especializados, dedicados ao estudo das sociedades indígenas.
De maneira geral, nós sociedade dita "nacional' brasileira, somos preconceituosos. segregacionistas e desinformados em relação às outras identidades étnicas que compartilham conosco o mesmo território.
Em relação às questões indígenas nosso desconhecimento é grande. A maioria da população não sabe que:
¨ na chegada dos portugueses ao Brasil, 2000 grupos sociais distintos existiam nessa parte do mundo e que hoje foram reduzidos a aproximadamente 215 sociedades indígenas.
¨ Estimativas da população indígena desta parte do continente do final do século XV variam de 1.100.000 a 2.430.000 indivíduos, e que hoje ela se encontra em tomo de 270.000 a 325.652 indígenas.
¨ Com a chegada dos portugueses falava-se em tomo de 1800 línguas distintas nessas terras e que hoje se falam 180 línguas distribuídas em 41 famílias genéticas.
¨ Que por ocasião da chegada dos colonizadores, as sociedades indígenas aqui existentes ocupavam todo esse nosso território, e que hoje ocupam apenas 11% da extensão total do território definido como brasileiro.
¨ Alguns anos após a chegada dos europeus ao continente que hoje chamamos de americano, enviaram-se comissões de investigação para pesquisar se os indígenas possuíam ou não alma. Questão essa que só foi resolvida em 1537, quando o Papa Paulo III declarou numa Bula que os indígenas eram entes humanos como os demais homens.
Como podemos observar houve prejuízo trazido pela dominação : depopulação e perda da sócio diversidade nativa, efeito genocida da colonização.
Talvez, devêssemos Ter em mente que o contato é que explica o povo e não o contrário - ou seja as distinções de categorias étnicas não dependem de uma ausência de mobilidade, contato e informação - mas acarretam processos sociais de inclusão e incorporação pelas quais categorias discretas são mantidas. apesar das transformações na participação e na presença no decorrer de vidas individuais. As interações étnicas não dependem de uma ausência de interação social e aceitação. A interação não leva a seu desaparecimento; as diferenças culturais podem permanecer apesar do contato e da interdependência dos grupos.
Por ocasião do contato produzo cultura, pois me afirmo em contraste com o outro -minha cultura vai ser fortalecida, juntamente com minha identidade. E o contraste que faz com que as fronteiras étnicas permaneçam. com processos de inclusão e exclusão que estabelecem limites entre tais grupos. definindo o que integra ou não, provocando ações e reações entre esses grupos. em uma organização social que não cessa de evoluir.
Podemos e devemos adquirir novos conhecimentos, pois esse é o processo natural das sociedades humanas. Se o homem não tivesse crescimento material e espiritual não experimentaria o sabor das conquistas, das vitórias.
Uma das nossas conquistas e desafios é a nossa consciência de que podemos e devemos ser construtores de nossos destinos. E nossa tarefa e responsabilidade parar de agir como tutores colonizadores. Não podemos tratar como estrangeiros aqueles que já estavam aqui há bem mais de quinhentos anos...
Dentro desse nosso vasto território nacional existem inúmeros grupos distintos com costumes, língua, hábitos, valores morais e econômicos, relações de parentesco e trabalho, crenças, fé. orgulho. honra, os mais variados possíveis, e que quando indagados. sabem dizer o que é necessário e pertinente para que se pertença a cada uma dessas identidades,
E que o contato entre essas inúmeras etnias não leva a extinção, como querem alguns. que nenhum sai perdendo com essa troca, mas que na diversidade e no contato com o outro eu me fortaleço, e que o isolamento e o fechamento tende a conduzir ao desaparecimento.

Está na hora de pararmos e começarmos a escutar essas sociedades com sabedoria secular e descobrir dentro de cada um o que nos torna únicos e indestrutíveis.

Os banners abaixo fazem parte do sistema de
divulgação por banners sendo
o conteúdo dos sites expostos
de responsabilidade de seus criadores.